Referências da Música Tradicional Portuguesa

Loading...

sexta-feira, 28 de novembro de 2014






O Cavaquinho


O Cavaquinho é o mais popular dos instrumentos de cordas portugueses e também de mais reduzidas dimensões: tem cerca de 50 cm de comprimento e quatro cordas. Existem Cavaquinhos com 6 e 8 cordas (corda dupla).
É no Minho que ele aparece como espécie tipicamente popular, ligado às formas essenciais da música característica dessa província com carácter exclusivo, acentuadamente lúdico e festivo.
Toca-se geralmente de "rasgado", como instrumento harmónico para acompanhamento de cantares e danças, ou associado à Viola e outros instrumentos.
Na região, o Cavaquinho alterna com a Rabeca Chuleira as funções de instrumento agudo, com o seu tom vibrante e saltitante, próprio para acompanhar "viras", "chulas", "canas-verdes", "malhões", etc.
Uma outra técnica de tocar o Cavaquinho é o “ponteado”, onde o seu tocador executa simplesmente a melodia.
Da região de Braga terá sido levado para as ilhas da Madeira e dos Açores. Na Madeira, “o Braguinha”, como é conhecido, terá acompanhado os emigrantes do século XIX para as ilhas Hawaii, onde logo se popularizou com o nome de Ukulele, que quer dizer "pulga saltadora".
O Cavaquinho existe também no Brasil onde tem uma grande popularidade, em Cabo-Verde e na Indonésia.
O Cavaquinho é um cordofone com origem, talvez, nos tetracórdios helénicos, com 4 cordas e diversas afinações que dependem da música e do músico.
Em Portugal, existem dois tipos de Cavaquinhos, embora possamos incluir um terceiro, bastante raro, o Cavaquinho do Sul, também conhecido por Guitarrilho, instrumento de luxo, sempre bem decorado com madrepérolas.
Voltando aos tipos mais conhecidos, o de Braga e o de Lisboa, eles são instrumentos com características bem diferentes. O Minhoto com a escala rasante ao tampo e por isso sem divisões de escala sobre o mesmo e o de Lisboa com escala sobreposta, onde esta se prolonga até à “boca ou abertura musical”. A tradição de construção de Cavaquinhos está mais enraizada no norte de Portugal, dependendo o seu preço da qualidade da madeira e dos requintes de acabamento.

Muitas são as afinações dadas a este instrumento.
As mais frequentes são: Mi, Dó #, Lá, Lá e Ré, Si, Sol, Sol.
Para o Braguinha da Madeira a afinação mais comum é Ré, Si, Sol, Ré (grave em bordão).

As afinações são dadas sempre do agudo para o grave.
Para a afinação: Mi, Dó #, Lá, Lá ou Ré, Si, Sol, Sol, devem-se utilizar os seguintes calibres de cordas:

1ª Corda – afina em Mi ou Ré (0,23 mm, carrinho Nº 10)
2ª Corda – afina em Dó # ou Si (0,25 mm, carrinho Nº 9)
3ª/4ª Cordas – afinam em  ou Sol (0,30 mm, carrinho Nº6)

José Lúcio Ribeiro de Almeida

Sem comentários:

Enviar um comentário